Segunda, 18 de Outubro de 2021
24°

Poucas nuvens

Santa Luzia - PB

Esportes Polêmica

Presidente do Sabugy rebate acusações de mala preta no Paraibano sub-19

Alvi-negro foi goleado na última rodada da 1ª fase

17/08/2021 às 10h18
Por: Redação
Compartilhe:
Presidente do Sabugy rebate acusações de mala preta no Paraibano sub-19
No último domingo, dia 15 de agosto, o Sabugy de Santa Luzia entrou em campo pela última rodada da 1ª fase do Campeonato Paraibano sub-19. O Gavião do Vale, já eliminado precocemente, enfrentou a equipe da Perilima, em Campina Grande, pelo grupo do Agreste. O alvi-negro do Vale do Sabugi sofreu nova goleada, dessa vez por 7 a 0, e se despediu do certame.
 
O problema veio após a partida, pois com o resultado elástico a Perilima acabou classificando-se em 2º lugar, pelo saldo de gols, o que causou revolta na diretoria da Queimadense, 3ª da chave, que se sentiu prejudicada. 
 
Em entrevista a uma emissora de rádio, após a desclassificação, o presidente da Queimadense acusou o Sabugy de receber a famosa "mala preta" para ser goleado. "A gente saiu da competição pelo saldo de gols e eu não tenho mentira pra dizer que com certeza ele recebeu algum dinheiro da Perilima para fazer isso, porque se eu fosse presidente do Sabugy, jamais iria para um jogo desse tamanho, com três equipes envolvidas, com 10 jogadores. A Federação Paraibana tem que tomar uma atitude contra esses clubes que só vem atrapalhar a competição", desabafou o mandatário, que finalizou dizendo que "vai ser um vergonha o Sabugy novamente na 2ª divisão".
 

O presidente do Sabugy, Malaquias Filho, indignado com a acusação do presidente da Sociedade Esportiva Queimadense, Humberto Lopes, publicou uma nota de repúdio em suas redes sociais.  

 
"Informamos a todos que fazem o futebol paraibano que desde o início da competição tivemos vários problemas com lesões, casos de Covid e outros internos do clube, e por esse motivo na última partida o Sabugy tinha duas opções: não comparecer ao jogo e ser punido por dois anos, como rege o regulamento, e ainda ficar sujeito a julgamento no TJD, ou ir à campo com o que tínhamos a disposição, ou seja, apenas 14 atletas (como prova a foto oficial e a súmula da partida), ao contrário do que afirmou o presidente da Queimadense, de que tínhamos 10 atletas em campo (calúnia). Em relação a receber propina do presidente da Perilima, peço ao Sr. Humberto que me mostre uma prova, faço esse desafio", divulgou Malaquias. 
 
O gestor maior do clube santaluziense ainda informou que está acionando o setor jurídico para que sejam tomadas as medidas cabíveis.
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias