Sexta, 18 de Junho de 2021
83 9.93126892
Brasil Negociação negadas

CPI aponta que Pfizer buscou governo 34 vezes

Técnicos da CPI da Pandemia elencaram o número total de interações feitas entre a farmacêutica Pfizer e o governo federal no ano de 2020

27/05/2021 21h06
208
Por: Redação Fonte: CNN Brasil
CPI aponta que Pfizer buscou governo 34 vezes

Técnicos da CPI da Pandemia elencaram o número total de interações feitas entre a farmacêutica Pfizer e o governo federal no ano de 2020.

O levantamento, mostra que, entre 17 de março - data do primeiro contato - e 10 de dezembro - quando foi fechado uma espécie de pré-acordo de compra de vacinas, a farmacêutica fez 34 contatos com o governo federal que, por sua vez, interagiu com ela em 12 situações (veja lista abaixo).

 

O primeiro contato da Pfizer com o governo federal, segundo a CPI, foi no dia 17 de março de 2020, em um e-mail enviado pela empresa ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no qual informa que a empresa estava buscando “soluções médicas para combate à Covid-19”. Não houve resposta.

Pouco mais de dois meses depois, no dia 20 de maio, a empresa enviou mais dois e-mails. Um ao então ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, pedindo uma agenda e outra ao vice-presidente Hamilton Mourão também com o mesmo objetivo.

Esse e-mail a Pazuello foi respondido no dia seguinte, em 21 de maio. Nele, a secretaria-executiva do Ministério da Saúde agenda uma reunião com o secretário-executivo Elcio Franco para o dia 28.

O mês de agosto se mostra um mês-chave nessa relação. No dia 14 a Pfizer envia um e-mail ao ministério com a proposta formal de 70 milhões doses e pede resposta até o dia 29.  No dia 17 manda documentos a Saúde e informa a proposta ao Ministério da Economia. No dia seguinte informa que conseguiria antecipar doses. Nos dias 19, 21 e 25 pede posições.

No dia 12 de setembro é enviada a carta,do CEO mundial da Pfizer ao presidente Jair Bolsonaro. O pré-acordo seria fechado em dezembro.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias